quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Filmes e leituras...

Essa semana exibi aos alunos um trecho do filme Olga, visto que os terceiros anos estão estudando sobre a Segunda Guerra Mundial e Era Vargas. Ainda não consigo compreender, por mais que estude, o que levou Hitler e companhia a cometer tamanhas barbaridades. É angustiante e insuportável pensar na ideia de pessoas serem submetidas as torturas do campo de concentração. Estou me aprofundando no tema, mesmo me sentindo mal com isso... Indico como leitura, o livro Escondendo Edith. Um dos momentos mais emocionantes para mim, tanto no filme como no livro, foi o momento da separação mãe-filhos. O momento que Anita é retirada a força dos braços de sua mãe Olga pra mim é insuportável de ver, mesmo tendo assistido o filme tantas vezes, a cada vez a emoção é inevitável.
Olga Benário
No livro, quando Mutti tem que deixar Edith e Gaston na casa em Mossaic encheram meus olhos de lágrimas.
Capa do livro
Saber que histórias de tanto sofrimento são baseadas em fatos reais, causados por motivo tão sem justificativa, o fato de serem judeus, me causa repúdio. Indico também, para que conheçam, a história de São Maximiliano Maria Kolbe. Padre corajoso, ofertou sua vida para evitar a morte de um pai de família num campo de concentração... No caso de Olga, por mais que eu não concorde muito com os comunistas, é impossível não se emocionar com sua história. Como uma pessoa pode ser tão determinada assim, colocando a própria vida em nome de uma ideologia? Mesmo nos piores momentos, defender com unhas e dentes o que acha que é certo.... “Lutei pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo.” (Olga Benário)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Surpresa dos alunos

Semana passada fui surpreendida duas vezes... Por conta do Dia do Professor, duas turmas fizeram uma festinha em comemoração ao nosso dia... Por vezes, enquanto professora, penso que a jornada exaustiva em nada vale a pena... Que passamos despercebidos pela vida desses alunos... Mas pequenas atitudes demonstram que vale a pena sim, acreditar, confiar... Mudar, inovar... Pode parecer um discurso piegas, mas estar na área da educação exige isso. Segue abaixo algumas fotos:
2º Ano C (Manhã)
2º Ano A (Noite)

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Apresentação de slides

Ontem foi o momento dos alunos apresentarem para toda a turma os slides produzidos por eles de forma compartilhada em Google Docs... Antes dos alunos mostrarem seu trabalho, assistimos o vídeo HISTÓRIA DAS COISAS e fizemos uma reflexão do quanto a mídia influencia as pessoas a gastarem, comprando produtos que ficarão obsoletos em poucos meses...

Execução da atividade de elaboração de slides

Compartilho a foto das aulas em que foram utilizadas as TIC's. Os alunos se envolveram bastante, e participaram ativamente dos questionamentos e da execução das atividades. Demonstraram interesse na realização do que foi solicitado. Após a elaboração dos slides, a próxima etapa é a apresentação para a turma. Estamos próximos de concluir o mês de outubro, e o sentimento saudosista de final de ano começa a aparecer, juntamente com o clima natalino, e com ele já bate a saudade. Gostaria de ressaltar o apreço que tenho por essa turma: 2º Ano A (Tarde) da Escola José Teixeira de Albuquerque. Muitos desses alunos, acompanho desde a 5ª série. É emocionante vê-los crescidos e em fase final do Ensino Médio. Espero ser professora desses alunos ano que vem, e continuar mantendo contato pelo resto da vida... Segue abaixo as fotos tiradas durante a execução das aulas:

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Trabalhando com as TICs

Esse mês, durante nossas aulas de História, trabalhamos juntamente com a professora de Geografia a Revolução Industrial. Definimos principalmente o que são os bens de consumo duráveis. Ouvimos a música Terceira do Plural, dos Engenheiros do Hawaíi, e fizemos um levantamento de hipóteses do que o autor da música quis passar. Na aula seguinte, lemos o poema Eu, etiqueta, de Carlos Drummond de Andrade. Fizemos uma ligação entre a música e o poema, e foi debatido a ideia central: o consumismo no mundo capitalista, e a obsolescência programada dos bens de consumo. Conforme orientações dadas, à partir das discussões realizadas nas aulas de Geografia e História, pesquise na internet um objeto, veja como ele era antigamente e atualmente. Faça um slide com as imagens e escreva um comentário, sobre a conclusão que vocês tiveram sobre o assunto estudado. Não se esqueça de colocar o nome do trio e o número.

Clique no link abaixo e encontre o número do slide que as professoras deram para vocês, e realize a atividade. Bom trabalho!

https://docs.google.com/present/edit?id=0ASVCoP0dRrj3ZGd6dzQ5OTRfMTBjNXM3dGhmcw&hl=pt_BR

Atividade

domingo, 9 de outubro de 2011

IV FEIRA DE CIÊNCIAS

No dia 07 de outubro foi realizada na escola que trabalho a IV Feira de Ciências e Cultura. Ao todo foram 17 projetos, onde os alunos apresentaram o resultado de suas pesquisas e experimentos. Para a segunda fase, foram selecionados um de cada área: AMBIENTAL, LINGUAGENS E CÓDIGOS, CIÊNCIAS HUMANAS e CIÊNCIAS DA NATUREZA. O projeto que orientei (clique aqui para ver) não foi escolhido, mas o que vale é todo o processo. Envolver os alunos nos debates em sala, levá-los a campo, utilizarmos as novas tecnologias que estavam disponíveis para a realização do trabalho que valeu a pena. Ah, sem contar o apoio recebido desde o começo do Núcleo Gestor e professores. Todos os elogios recebidos durante toda a execução, até mesmo de professores de outras escolas quando divulguei na formação para professores de História da CREDE 03, que será levado em consideração. No decorrer desse último bimestre, iremos dar continuidade, levando em conta as observações e sugestões feitas pela superintendente da CREDE 03, e será dada a conclusão, independente da Feira. Quando finalizar, divulgarei por aqui...

domingo, 2 de outubro de 2011

Ferramentas da Web 2.0

Quero compartilhar com vocês a minha primeira atividade do curso Uso do blog como recurso didático. Consiste em escolher duas Web 2.0 e analisá-las. Segue abaixo o texto que redigi:

CURSO: O uso do blog como recurso didático

CURSISTA: Adriana Rodrigues Monteiro

PRÁTICA: Analisando ferramentas Web 2.0

Para a realização da atividade, fiz uma pesquisa no site de busca. A primeira ferramenta que “mergulhei”, foi o site Wikipédia. No decorrer da leitura, fui clicando nos links e novas descobertas fui realizando. Fui levada a sites que estão indisponíveis, sites em inglês... Quando me perdia, voltava ao site inicial - Wikipédia - e recomeçava minha navegação. Posso afirmar sem medo que clicar nos links auxiliou na minha caminhada para compreender o que é um hipertexto. Acredito que se o professor se planejar bem, é uma riquíssima experiência a ser vivenciada pelos alunos nas aulas. Desperta o interesse na busca por respostas, pois ao clicar nos hipertextos, novas possibilidades vão surgindo.

Outra ferramenta que acho muito interessante, e utilizo no meu dia a dia, é o Thinkquest. É uma plataforma criada pela empresa Oracle Education Foudation. Nele, professores criam projetos onde os alunos postam atividades referentes a escola. É restrito o uso, apenas estudantes e professores de escolas cadastradas podem ter acesso. Eu utilizo há dois anos, e acho fantástica a experiência.

EDUCAREDE: Uso do blog como recurso didático

Por meio do portal Educarede, estou tendo acesso a um curso excelente: Uso do blog como recurso didático. Estou muito empolgada com as atividades, principalmente pelo fato de poder me aprimorar e saber como manter melhor essa ferramenta: edublog. A tutora Marli Fiorentin é uma profissional extremamente competente, e domina o assunto, além de ser muito empenhada em nos ajudar. Por conta disso, farei uma reorganização do Trilha Histórica, para que atenda os objetivo do curso e as minhas novas descobertas.

sábado, 1 de outubro de 2011

Feira de Ciências

O PODER DA FÉ: A CURA PELA ORAÇÃO DOS REZADORES

Autoras:

Hélica Ferreira dos Santos¹

Rafaela Freitas Sousa¹

Adriana Rodrigues Monteiro²

¹ Alunas da EEM José Teixeira de Albuquerque

² Professora de História da EEM José Teixeira de Albuquerque

INTRODUÇÃO

Estamos no século XXI, onde presenciamos muitos avanços tecnológicos e científicos. Desde a Idade Moderna, principalmente com o Renascimento, houve a defesa

da separação entre fé e razão. Apesar de tantos avanços verificados na medicina, a crença no poder da oração permanece. Mesmo não acreditando no poder da oração, muitas pessoas se sentem acuadas diante de uma enfermidade que não é resolvida com o uso de medicamentos, e como solução imediata, recorrem à ajuda dos rezadores. O projeto visa

fazer um levantamento do perfil do rezador. Tal tradição tem o

rigens diversas: herança dos portugueses, ao chegar ao Brasil sofreu influência dos indígenas e mais tarde dos africanos. O domínio do uso de plantas medicinais da cabocla e da mestiça, somado a religiosidade dos portugueses resultou nessa grande mistura, passada de geração em geração.

METODOLOGIA

Para desenvolver esse projeto, alunos e professoras levantaram hipóteses. Para execução do projeto, foi realizado entrevistas com alguns rezadores da cidade de Jijoca de Jericoacoara.

As equipes tiraram fotos e depois preencheram um

formulário no Thinkquest com as respostas obtidas. Tendo todo o resultado da entrevista realizada, foi feito um mapeamento do perfil do rezador: idade, estado civil, filhos, localidade, como e quando começaram com a prática, como é o ritual da bênção e quais são as bênçãos mais procuradas. Foi feito também estudos referentes ao tema da pesquisa.

RESULTADOS

Foram entrevistados 45

rezadores e envolveram-se nessa pesquisa todos os alunos dos segundos anos

(manhã, tarde e noite) da Escola José Teixeira. Pudemos fazer o levantamento

do perfil dos rezadores: como começaram com essa prática, os benzimentos mais procurados, como é o ritual da benção e se cobram pelo trabalho. A coleta de informações foi feita por meio de pesquisa de campo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao abordarmos esse tema, tivemos como objetivo estudar a tradição popular da cura pela oração dos rezadores. Fizemos um levantamento do perfil dos rezadores. Verificamos como se dá a transmissão do dom e como é o ritual da benção. Diagnosticamos que há uma participação efetiva de homens e mulheres nessa prática religiosa. Por meio de cantos, rezas, gestos e orações, cada rezador tem seu próprio modo de benzer. A cada um foi dado uma forma de exercer esse dom, normalmente recebido de parentes ou de pessoas próximas.

PALAVRAS-CHAVE: fé – rezadores – cura – oração

Segue abaixo as fotos dos alunos com os rezadores entrevistados.