domingo, 4 de outubro de 2009

A REVOLTA DA VACINA

A REFORMA URBANA
Na intenção de fazer do Rio de Janeiro uma cópia das cidades européias, o presidente da República Rodrigues Alves autorizou o prefeito Pereira Passos a promover uma reforma urbana. Por meio dela, os casarões imperiais foram demolidos e ruas foram alargadas, a fim de facilitar a circulação de mercadorias do porto às linhas férreas.

Expulsa por essas demolições, a população mais pobre foi obrigada amontar barracos nos morros próximos ou deslocar-se para áreas distantes do centro, conhecidas como subúrbios da Estrada de Ferro Central do Brasil.

A REFORMA SANITÁRIA

Enquanto prosseguia a reforma urbana, expulsando a população pobre da região central da cidade, as autoridades decidiram promover a campanha de erradicação da varíola. Para isso, foram criados batalhões de agentes sanitários que visitavam as casas, vacinavam as pessoas e faziam vistorias. Caso constatassem risco sanitário, determinavam a demolição do imóvel, sem necessidade de indenização.

Essas medidas de higiene entravam em conflito com os proprietários dos estabelecimentos sujeitos à fiscalização e também com a população pobre, que tinha suas casas invadidas por funcionários da saúde pública.

REAÇÃO POPULAR: A REVOLTA DA VACINA

Em 1904, diante de tantas invasões domiciliares e demolições de moradias, a população que se apertava nos cortiços do cenro da cidade e nos barracos dos morros reagiu.

Essa reação, que ficou conhecida como Revolta da Vacina, consistiu em violentos choques nas ruas entre as autoridades e a população. Usando como armas ferramentas e materiais de construção, a população enfrentou, durante dez dias de combates, a polícia, a Guarda Nacional, os bombeiros, tropas do Exército e da Marinha. A revolta só foi sufocada com o auxílio de forças militares de São Paulo e Minas Gerais. A resposta a esse movimento popular foi violenta: os participantes da revolta que não tinham como comprovar emprego e residência fixos foram conduzidos ao presídio na ilha das Cobras, onde foram sistematicamente espancados. Depois disso, foram enviados à Amazônia, onde desapareceram. A nascente República estava longe da democracia.

5 comentários:

  1. você poderia colocar foto do presidente Pereira Passos? estou fazendo um trabalho de escola e presciso disso, muito obrigada!

    ResponderExcluir
  2. vse poderia criar um poema sobre a guerra da vacina pois eu estou fazendo um trabalho de história e eu preciso de um poema sobre esse assunto pois eu amo a materia de história e naum quero dec epcionar a minha professora .

    ResponderExcluir
  3. você poderia criar um poema sobre a guerra da vacina pois eu estou fazendo um trabalho de história e eu preciso de um poema sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
  4. amei o conteúdo. parabens aos editores!XD

    ResponderExcluir

Olá! Obrigada pela visita!

Ao redigir um comentário, tenha em mente que passará pela minha moderação, ou seja, se não for algo pertinente ao assunto do tópico, será deletado.

Paz e bem!

MITOLOGIA GREGA

HISTÓRIA DO MINOTAURO! Teseu é um dos principais heróis da mitologia grega. Segundo a lenda, Teseu matou o mostro Minotauro, criatura m...